28 de mar de 2013

Ensino de Arte: Problema nacional

Logo Portal O POVO Online


25/03/2013
Problema nacional

De acordo com a professora Ana Del Tabor, ex-diretora da Federação dos Arte Educadores do Brasil (FAEB), o problema não está restrito ao Ceará. “Isso acontece no Brasil todo”, pontua. Por aqui, entretanto, o problema é mais evidente pela escassez de cursos de formação em artes. “Se formos pensar, até pouco tempo Fortaleza não tinha licenciatura em artes, então, nessas escolas todas, a maioria das pessoas não tem formação específica”, reflete Luciane Goldberg.

Com isso, destaca Ana, quem perde são os alunos. “Quando a gente fala ensino de arte, vêm os resquícios da educação artística, que era um fazer desprovido do saber, mas o que a gente precisa é de um profissional”, reivindica. “É a mesma coisa que colocar um professor de artes para dar aula de matemática, geografia. O problema é que, historicamente, artes não foi vista como área de conhecimento do currículo. O conhecimento sobre artes é fundamental na formação de qualquer cidadão, você vai ter profissionais muito mais completos”.

Mesmo sem conseguir o cumprimento adequado da lei e sem meios para fiscalizar sua correta aplicação, a ideia da FAEB agora é qualificar ainda mais o ensino de artes no Brasil. “Via FAEB, nós [arte educadores] estamos pressionando o congresso nacional para inserir na lei maior de bases e diretrizes a obrigatoriedade de todas as linguagens artísticas - artes visuais, teatro, música e dança - terem um professor com formação. O projeto já está tramitando e está em vias de aprovação”, comemora Ana.

Lei esquecida
Outro descumprimento da Lei de Diretrizes e Bases da Educação denuncia descaso com que o ensino de artes é tratado no Brasil. Em 18 de agosto de 2008, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou a lei nº 11.769, a qual determina que “a música deve ser conteúdo obrigatório, mas não exclusivo”, em toda a Educação Básica. Depois de sancionada a lei, as escolas teriam até três anos, ou seja, até agosto de 2011, para se adequar à nova regra. Como a lei não determina que haja uma disciplina exclusiva de música, a linguagem pode ser inserida nas tais aulas de artes, que deveriam ser ministradas por uma equipe multidisciplinar, dentre a qual deveria estar um professor de música. Mas como se viu, não é o que acontece. (Naara Vale)


http://www.opovo.com.br/app/opovo/vidaearte/2013/03/25/noticiasjornalvidaearte,3027559/problema-nacional.shtml
..................................

Confira também:
Ensino 25/03/2013
A "arte" do improviso 
Para completar a carga horária de professores e cumprir a lei que determina o ensino de artes nas escolas, instituições estão obrigando docentes de outras disciplinas a darem aulas de artes
 

23 de mar de 2013

9ª Bienal do Mercosul | Porto Alegre abre inscrições para Formação de Mediadores

Sábado, 23 de março de 2013 às 13:50

Hoje, 23 de março de 2013, Dia Mundial da Meteorologia, a 9ª Bienal do Mercosul | Porto Alegre abre as inscrições para formação de mediadores dando início às ações do Redes de Formação, um programa integrado para mediadores, professores e público curioso e interessado em arte. Estudantes universitários a partir do 3ª semestre e profissionais com curso superior, sem restrições de área de conhecimento, têm até o dia 14 de abril para efetuarem suas inscrições no link www.surveymonkey.com/s/MediadoresBienaldoMercosul.

Um dos objetivos da formação de mediadores é formar profissionais, através de laboratórios semanais e uma série de outros encontros quinzenais, para o atendimento de grupos e visitantes durante a exposição.

A 9ª Bienal do Mercosul | Porto Alegre, que tem como título "Se o clima for favorável", acontece de 13 de setembro a 10 de novembro de 2013. O foco da proposta curatorial da diretora artística Sofía Hernández Chong Cuy para a edição são as interações entre natureza e cultura, experimentação e inovação. Para isso, entre outras coisas, propõem especular as bases que têm marcado as distinções entre a descoberta e a invenção. A exposição também se concentra em como diferentes distúrbios atmosféricos afetam a nossa experiência e as percepções que temos do mundo que nos rodeia. Mônica Hoff, curadora de base da edição, responsável por gerar a visão, ideias e métodos para o programa pedagógico, afirma que nesta mesma direção vão as iniciativas educativas. "As ações do projeto pedagógico estarão centradas, em grande parte, na relação da arte contemporânea e suas contribuições tecnológicas e inventivas", comenta a curadora.

O programa Redes de Formação acontecerá em diferentes lugares de Porto Alegre, em outras regiões do Rio Grande do Sul e em cidades de outros estados do Brasil. Com a proposta de criar uma rede de conhecimento ainda mais ativa, este ano a Bienal do Mercosul | Porto Alegre amplia seu alcance integrando artistas, educadores, mediadores e comunidade em torno de temas presentes na proposta conceitual da edição que tocam diretamente as suas práticas cotidianas e suas formas de atuarem no mundo.

Na programação estão uma série de laboratórios, encontros, discussões, workshops, saídas de campo e intercâmbios que acontecerão de maio a novembro de 2013. Um das plataformas de ensino à distância para a realização de fóruns e debates; uma antologia com textos sobre natureza, cultura, ciência, arte e mediação; um material educativo com foco nas relações entre ciência e curiosidade; e um simpósio que irá abordar tempo, espaço e tecnologia no contexto da educação também integram o programa elaborado pelo Projeto Pedagógico da Bienal do Mercosul | Porto Alegre.

“Se o clima for favorável", o lançamento do Projeto Pedagógico completo, com seus conceitos e programas, acontecerá em maio, época a partir da qual a 9ª Bienal do Mercosul | Porto Alegre estará cada vez mais presente na atmosfera da cidade.

Patrocinadores e apoiadores

MINC - Ministério da Cultura / Governo Federal - Realização
Pró-Cultura RS / Secretaria do Estado da Cultura do Rio Grande do Sul / Governo do Rio Grande do Sul - Financiamento
Gerdau – Patrocínio Master
Itaú - Patrocínio do Projeto Pedagógico
IBM - Patrocínio Smarter

Lettering da Universidade


Ciclo de palestras sobre arte-educação

Tema: Programa Educativo da Fundação Iberê Camargo realiza ciclo de palestras sobre arte- educação
Resumo: Nos dias 6 e 13 de abril, o Programa Educativo realiza o ciclo de palestras “O museu e seus públicos”.
Duração: de 06 de abril a 13 de abril, das 9h às 12h
Local: Auditório da Fundação Iberê Camargo
Nos dias 6 e 13 de abril, o Programa Educativo realiza o ciclo de palestras “O museu e seus públicos”. A atividade, que busca discutir aspectos das práticas educativas desenvolvidas em museus e centros culturais, acontecerá nesses dois sábados, das 9h às 12h, no auditório da Fundação.

A programação do ciclo contará, no dia 06 de abril, com a presença de Paulo Portella, artista plástico, educador e museólogo, coordenador do Serviço Educativo do MASP desde 1997, e Maria Isabel Leite, Doutora em Educação, pesquisadora autônoma da infância e da educação. A atividade se encerra no dia 13 de abril, com a participação de Cayo Honorato, Doutor em Filosofia e Educação, pesquisador na área de mediação cultural, e Rejane Galvão Coutinho, Doutora em Artes, coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Artes da UNESP, pesquisadora em educação em museus e formação de mediadores.

A atividade é gratuita e todos os participantes receberão certificados ao final do período.
Inscrições a partir do dia 25 de março pelo email agendamento@iberecamargo.com.br . Para dúvidas ou mais informações, basta entrar em contato pelo telefone (51) 3247 8001.


PROGRAMAÇÃO:

6 de abril
9h – Serviço Educativo do MASP: uma abordagem de construção de sentidos com o visitante do museu 1997-2013
Nesta comunicação, Paulo Portella apresenta as linhas mestras do trabalho desenvolvido em equipe desde 1997, quando foi instituído o setor educativo do MASP, até os dias atuais. Serão abordados os princípios  que norteiam a prática dos educadores com o público agrupado e avulso assim como o relacionamento institucional com o professor para o estabelecimento de parcerias de trabalho.
Paulo Portella – Artista plástico, educador e museólogo, graduado pela Escola de Comunicações e Artes da USP com especialização em Arte/educação em Museus de Arte pela ECA – USP. Implantou e Coordena, desde 1997, o Serviço Educativo do MASP. Implantou e coordenou as atividades do Serviço Educativo da Pinacoteca do Estado de São Paulo entre 1975 e 1987. Atuou como professor de arte na rede pública estadual e na rede privada, além de desenvolver projetos relacionados à área de arte-educação para instituições como o Museum of Fine Arts of Houston, a Casa Fiat de Cultura, o Itaú Cultural e a Bienal de São Paulo.
10h30 - Museu também é lugar para criança pequena!
Maria Isabel Leite debate diferentes concepções de infância, em particular a perspectiva da criança como sujeito produtor e consumidor crítico de cultura. Sua fala aborda propostas museais que sensibilizam e favorecem a criação autônoma e autoral de crianças desde pequenas.

Maria Isabel Leite - Doutora em Educação, com pós-doutorado em Arte-Educação (Roehampton University, Londres), com foco na presença das crianças pequenas nos museus. Foi fundadora e dirigiu o Museu da Infância de 2005 a 2010. É consultora e pesquisadora autônoma da infância e da educação, tanto em espaços formais, como não formais. Tem diversas publicações na área e é editora do blog Repensando Museus.
13 de abril
9h - Concepções de Públicos da Mediação Cultural
Cayo Honorato discute os sentidos e funções da mediação cultural, propondo uma reflexão sobre como as categorias “público espontâneo” e “público agendado” abarcam as complexidades históricas e culturais que constituem a noção de público.

Cayo Honorato - Doutor em Filosofia e Educação pela USP, mestre em Cultura e Processos Educacionais pela UFG, desenvolve pesquisas voltadas para a formação do artista e a mediação cultural.
10h30 – Qual a formação necessária para se atuar como educador/a mediador/a cultural?
Rejane Galvão Coutinho apresenta considerações sobre a formação de educadores e o lugar das práticas de medição em instituições culturais e educacionais, destacando encontros, desencontros, conflitos e sobreposições.

Rejane Galvão Coutinho -  Doutora e mestre em Artes pela ECA/USP, professora do Instituto de Artes da UNESP, onde atua na Licenciatura em Artes Visuais e  coordena o Programa de Pós-Graduação em Artes. Fundadora e atualmente colaboradora do Arteducação Produções, coletivo que desenvolve projetos de ação educativa e mediação cultural em São Paulo.

Fonte: http://www.iberecamargo.org.br/site/programa-educativo/programa-educativo-programacao-detalhe.aspx?id=40

19 de mar de 2013

Oficina de manipulação de imagens digitais inicia dia 25 de março


Arte digital de Mara Caruso


Na próxima segunda-feira, dia 25 de março, das 9h às 12h, inicia a oficina de manipulação de imagens digitais, ministrada por Mara Caruso.
Caruso é formada em  Artes Plásticas e Música e entre 1980 a 2003 atuou como professora do Departamento de Artes da Universidade de Caxias do Sul - UCS e, atualmente desenvolve suas atividades como intrutora de artes no Atelier Livre da Prefeitura de Porto Alegre Xico Stockinger.
Será utilizado o software livre GIMP e terá como objetivo capacitar o aluno para realização de um projeto artístico, através do conhecimento de suas ferramentas e possibilidades, desde a criação de arquivos ou captação de imagens à impressão do projeto final.  O curso também propõe o desenvolvimento de uma linguagem pessoal e contemporânea com novos meios de representação.
O único requisito é ter conhecimento e prática do windows. A atividade será realizada todas as segundas-feiras, das 9h às 12h e terá a duração de um semestre. O investimento é de R$ 150,00 (cento e cinquenta reais).

Novo edital do IPHAN apoiará projetos voltados à cultura afrodescendente

Savaguarda do patrimonio relacionada a musica, canto e danca de comunidades afrodescendentes - Crédito: Nubia Selen
O Projeto de Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial deverá ser relacionado à música, canto e dança de comunidades afrodescendentes localizadas no Brasil

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) lança edital para seleção de projetos com a finalidade de apoiar manifestações e práticas culturais relativas ao patrimônio imaterial de populações afrodescendentes. As atividades dos projetos deverão envolver ações de mapeamento, pesquisa, produção bibliográfica e audiovisual; ações educativas, formação, capacitação e transmissão de saberes; apoio à organização e à mobilização comunitária, à promoção da utilização sustentável dos recursos naturais, entre outras que se relacionem ao universo da música, canto e dança e contribuam para a continuidade da existência de bens culturais imateriais e/ou para a gestão participativa e autônoma da preservação de práticas tradicionais referenciais de comunidades afrodescendentes no território brasileiro.
A realização do Projeto de Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial relacionado à música, canto e dança de comunidades afrodescendentes localizadas no território brasileiro integra a participação do Estado brasileiro no âmbito do projeto Salvaguarda do patrimônio cultural imaterial relacionado à música, canto e dança de comunidades afrodescendentes na América Latina, proposto pelo Centro Regional para a Salvaguarda do Patrimônio Imaterial da América Latina (CRESPIAL), Centro de referência 2 da UNESCO, do qual participam 13 países da América Latina e Caribe, comprometidos com a execução de experiências‐piloto de salvaguarda do patrimônio cultural imaterial afrodescendente em suas abrangências nacionais.
O tema selecionado - Música, canto e dança de comunidades afrodescendentes - delimita o universo de bens culturais que poderão ser objeto do projeto, mas não estabelece a quantidade máxima de bens e nem a obrigatoriedade de atendimento das três expressões citadas. No entanto, é necessário que o projeto envolva ações que articulem elementos da música, do canto e da dança ou de um desses aspectos de forma específica. Outra recomendação para esse edital é que projeto se desenvolva em comunidades de pequeno ou médio porte, localizadas em território específico, para garantir que a execução, acompanhamento e monitoramento do projeto sejam compatíveis com a sua natureza. Para outros esclarecimentos, os interessados podem procurar o Departamento de Patrimônio Imaterial (DPI/IPHAN) enviando e-mail para
Desirée Tozi (desiree.tozi@iphan.gov.br) ou para Paulo Peters (paulo.peters@iphan.gov.br).

Todos os anexos estão em:
http://portal.iphan.gov.br/portal/montarDetalheConteudo.do?id=17258&sigla=Noticia&retorno=detalheNoticia

5 de mar de 2013

Auxílio à Permanência Discente

Clique na imagem para ampliar





http://www.uergs.edu.br/index.php?action=noticias&cod=1949

A Uergs está com inscrições abertas para o Programa de Auxílio à Permanência Discente (Prodiscência). As bolsas serão concedidas de 4 de março a 31 de dezembro de 2013 e as inscrições para o processo seletivo deverão ser feitas até o dia 18 de março, nas secretarias das Unidades Universitárias, durante seu horário de funcionamento.
O Prodiscência pretende oportunizar a permanência dos alunos na Universidade, mediante auxílio financeiro. Em 2013, serão distribuídas 322 Bolsas Prodiscência, no valor de R$ 250 mensais, para auxiliar os acadêmicos em despesas com alimentação, transporte ou habitação. Para participar do processo de seleção, o estudante deve estar regularmente matriculado nos Cursos de Graduação da Uergs, e comprovar situação de vulnerabilidade socioeconômica.
Confira abaixo o Edital 01/2013 do Prodiscência, e os documentos necessários para a inscrição:


>> Edital 01/2013 – Prodiscência
>> Requerimento de Inscrição – Cadastro socioeconômico
>> Declaração de Vulnerabilidade
>> Comprovação de renda agrícola
>> Solicitação de desligamento

XVII CONCURSO DE ÁLBUM ILUSTRADO “A LA ORILLA DEL VIENTO”


Con el propósito de encontrar nuevas voces que impulsen el desarrollo de la creación literaria y plástica de obras para niños y jóvenes en Iberoamérica, el Fondo de Cultura Económica convoca a escritores e ilustradores de todas las latitudes para que participen en el XVII Concurso de Álbum Ilustrado A la Orilla del Viento

El concurso comenzó el 28 de febrero y cierra, indefectiblemente, el 30 de agosto de 2013. La obra puede ser el fruto de un trabajo colectivo y el o los autores pueden presentar todas las propuestas que deseen. El primer premio recibe ciento cincuenta mil pesos mexicanos (o su equivalente en USD como adelanto de regalías) y estará otorgado por un jurado de primer nivel que se difundirá junto con la entrega del galardón. Además, la obra se publicará en la colección Los Especiales de A la Orilla del Viento del FCE

PRESENTACIÓN DE TRABAJOS:
del 28 de febrero
al 30 de agosto
 

 PUBLICACIÓN DE RESULTADOS:
31 de octubre

Más informaciones:

http://www.fce.com.ar/ar/home/Concurso_AOV_2013.pdf?utm_medium=Email&utm_source=Newsmaker&utm_campaign=Newsmaker-convocatoria--04-03-2013