18 de out de 2014

Glossário de técnicas e processos gráficos e fotográficos do século XIX - Instituto Moreira Salles

 "Não seria exagerado afirmar que, depois da invenção da escrita, não houve invenção mais importante do que a da reprodução exata e múltipla de imagens. Sem as técnicas de reprodução precisa de imagens, por meio de impressões em gravura e litografia, e posteriormente pela fotografia, muitas das ciências modernas e diversas tecnologias atuais, bem como os estudos arqueológicos e etnológicos, entre outros, não teriam se desenvolvido da mesma forma. Muitas áreas do conhecimento são totalmente dependentes da possibilidade de exata repetição de informações visuais ou pictóricas. Ou seja, longe de ser obras de arte de menor relevância, as impressões gráficas e fotográficas estão entre as mais importantes e poderosas ferramentas da vida e do pensamento moderno. O século XIX representa um período fundamental para o desenvolvimento das bases da comunicação visual, e, consequentemente, da comunicação de massa, como a conhecemos hoje. Além da gravura, já conhecida no mundo ocidental desde o Renascimento, duas invenções amadurecem e se desenvolvem no decorrer desse século: a litografia e a fotografia. O glossário aqui exposto remete a esse fértil período de reprodutibilidade da imagem e oferece um conjunto de técnicas e processos que ajudaram a popularizá-la. "

Disponível em: <http://www.ims.com.br/ims/explore/acervo/noticias/glossario-de-tecnicas-e-processos-graficos-e-fotograficos-do-seculo-xix>


Uma amostra (no site todos os termos têm imagens como exemplo): 
CARVÃO
Um dos mais antigos materiais para desenho, o carvão é feito a partir de madeiras de salgueiro ou de outras árvores, que são lentamente carbonizadas em um forno que chega a altas temperaturas. As varetas obtidas são usadas como instrumento de desenho e, ao passar pelo papel, deixam um denso traço negro.
COLOTIPIA
Processo fotomecânico de impressão introduzido em 1870 e utilizado até hoje em pequena escala. Uma base de metal ou vidro recoberta com gelatina bicromatada é exposta à luz, em contato com um negativo, e produz uma matriz para impressão de imagens em pigmento. O endurecimento e a reticulação da gelatina, em função da exposição à luz, permitem a absorção diferencial de tinta pela matriz correspondente à gradação tonal da imagem fotográfica no negativo e posterior impressão de cópias (em geral utilizadas para ilustrações de publicações ou cartões-postais).
CRAYONTermo utilizado para designar um material composto por pigmento, argila e crê, produzido em pequenas barras, para desenhar. Por ser a marca mais popular, acabou ficando conhecido como crayon Conte e é comercializado até hoje nas cores preto, branco, sépia, bistre e sanguínea. É utilizado como o carvão e, nos dois casos, o resultado são traços mais negros e aveludados que os da grafite.

Nenhum comentário: